André Luiz recebe o Ministério de Leitor e Acólito no dia 10, na Catedral Metropolitana de JF

O Ministério de Leitor e Acólito é mais um passo para a ordenação diaconal permanente e, para André Luiz Pereira Machado, “é a consolidação de um processo que já dura quatro anos e seis meses e que envolve não somente o próprio candidato, mas sua família e a comunidade a qual ele pertence. Uma conquista pessoal, mas mais importante ainda para a Igreja e para a Paróquia que o acolhe”.

 

A história do André na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, como ele mesmo contou, começou aproximadamente aos oito anos de idade, quando a família se mudou do Bairro Marumbi para o Bairro Manoel Honório. Nesta época, ele começou a fazer aulas de violão com um professor que tocava nas celebrações, o Carlinhos. Foi ele o responsável por convidar André, aos 12 anos, para se juntar a equipe de música na missa da manhã. A partir de então, ele foi seguindo sua trajetória na Igreja, participando do grupo jovem e outras atividades. Aos 15 anos, começou a tocar na celebração das 19 horas, onde atua até hoje.

 

André lembra, com carinho, que são praticamente 40 anos de vida pastoral junto da comunidade do Bairro Bairu. “Vi as obras serem concluídas, a Igreja crescer, muitas ‘festas da baleia’, muitas trocas de padres e eu e minha família continuamos aqui firmes, apesar de hoje morarmos em outro Bairro. Em um dos meus últimos encontros com o padre Haroldo, antes de deixar Juiz de Fora, ele falou para mim e para minha esposa que devíamos florescer onde Deus nos plantou. E acreditamos que foi aqui, nesta Paróquia que Deus fez isso por nós. E, por isso, estamos aqui à serviço e florescendo”.

 

Por essa história de atuação, dedicação e dom, André foi indicado pelo padre Tarcísio Marcelino Ferreira Monay, durante sua administração como pároco. Indicação esta, validada pelo Conselho Pastoral Paroquial (CPP). De acordo com André, o processo, após a indicação, se inicia com o que é chamado de propedêutico, onde os candidatos ao diaconato permanente são avaliados, de maneira criteriosa, quanto à vocação e perfil. A etapa dura seis meses e precede quatro anos de estudos, que visam formar o futuro diácono no que tange à liturgia, fundamentos teológicos, direito eclesial e formação humana. Tudo com o objetivo de orientar o candidato para a sua atuação pastoral, em prol da comunidade e da caridade.

 

André destaca ainda que o processo inclui a família, que é a base sólida que o permitiu passar e concluir essas etapas: “Para um diácono, o primeiro campo de sua atuação é a família. Sem ela, sem seu apoio, não é possível ser ordenado. Inclusive, a esposa e os filhos precisam dar uma autorização formal. Por isso, durante a preparação, é realizado também um acompanhamento familiar, afim de que possam caminhar juntos nesta fase de discernimento. Na minha casa, eu recebo um apoio muito grande. Minha esposa e meus dois filhos, em muitas conversas, me ajudaram a entender se este era mesmo o caminho e se isso não tem me feito deixar faltar algo no nosso lar. Um pilar que sustenta a nossa família, principalmente a mim e minha esposa, nessa caminhada que temos feito, é a nossa participação e atuação na Equipe de Nossa Senhora, que é um movimento a nível mundial, onde os casais trabalham a espiritualidade do casal e da família. Então a nossa família tem essa base forte, em termos do convívio familiar e que nos fortalece também em comunidade”.

 

Após a celebração de sábado, onde André e outros 24 candidatos receberão o Ministério de Leitor e Acólito, pelas mão do acrebispo Metropolitano Dom Gil Antônio Moreira, o novo Ministro da Paróquia terá a primazia de fazer qualquer leitura ou salmo – excluindo o evangelho, que só pode ser proferido por um ministro ordenado diácono ou presbítero -, com a propriedade necessária para trasmitir o sentido dos textos sagrados, e preparar as oferendas no altar, auxiliando os padres que estiverem presidindo. Após essa fase, será dada continuidade às avaliações por meios de questionários, chamados de escrutínios, onde o futuro diácono será avaliado agora por pessoas de seu convívio. A previsão é que a ordenação ocorra ainda este ano, em dezembro.

 

Emocionado, André reforçou que essa é uma “caminhada difícil, mas muito bonita”. E agradeceu a confiança da Paróquia, do padre Tarcísio que o indicou e, hoje, do padre Renato e do padre Everaldo, que é seu orientador espiritual.

 

A celebração acontece às 15 horas, na Catedral, e toda a comunidade está convidada a participar e celebrar essa conquista, que é de todos. Por este motivo, não haverá a celebração das 17 horas, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, excepcionalmente neste sábado, 10.

 

 

 

Acompanhe a Paróquia também nas redes sociais:

Instagram: @scjbairu

Facebook: https://www.facebook.com/pscj.bairu

 

 

* Informações com a secretaria paroquial pelo telefone (32) 3215-9969.