Novena de Natal: 6º dia – “Fazei discípulos entre todas as nações”

Preparando o ambiente: Nesse dia vamos preparar o recinto colocando a Cruz do Senhor em uma mesa bem arrumada, ao lado dela os nomes, fotos ou algum objeto que conta um pouco da nossa história vocacional. Alguém convidou você a participar da vida em Cristo, quem e será por quê?

.

6º dia da novena
“Fazei discípulos entre todas as nações”.

.

Canto: (Senhor vem salvar teu povo, nº 1).

.

1. Acolhida

A.: Na feliz esperança do natal do Senhor Jesus, em prece e oração nesse sexto dia de nossa novena, coloquemos mais uma vez nossas intenções que serão iluminadas pela força da oração. Queremos celebrar a espiritualidade do Natal com a imagem da “Casa da missão”. Na força da fé, o Evangelho é proclamado sobre as ruas e sobre os telhados, nos lembrando que a Palavra ganha mais força através de seus comunicadores. Hoje, uma vez mais, sejamos disponíveis ao projeto do Pai, que através de Jesus seu Filho, quer fazer de nós missionários do Reino.

.

Cantar o refrão: Senhor tu me olhaste nos olhos a sorrir, pronunciaste meu nome lá na praia eu larguei o meu barco junto a ti buscarei outro mar.

.

2. Oração inicial
A.: Unidos em prece, abertos ao mandato missionário de Jesus: “Ide fazei discípulos meus…”, façamos nossa oração inicial.
.

A.: Senhor e Pai, em vossa presença rezamos a Novena de Natal, preparando-nos para celebrar o nascimento do vosso Filho e Salvador, Jesus. Ilumina a nossa caminhada com o vosso Santo Espírito, para que reconheçamos a nossa necessidade de conversão pessoal e nas nossas relações com Deus, com os irmãos e com a nossa casa comum. Saudemos a Trindade Santa, cantando: (canto n° 26).
.

T.: EM NOME DO PAI E DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO. AMÉM.
.

A.: Celebrar o nascimento de Jesus é abrir o nosso coração para que Ele possa nascer e renascer, crescer e transparecer nas nossas atitudes diárias, na vivência do amor e no diálogo respeitoso e fraterno com as diversas realidades que nos cercam.
.

T.: VEM SENHOR, VEM NOS SALVAR, COM TEU POVO VEM CAMINHAR (bis).
.

L1.: Celebrar o nascimento de Jesus nos compromete a anunciar a alegre esperança de vida, de cura e libertação, Naquele que se encarnou para nos dar vida plena.
.

T.: VEM SENHOR, VEM NOS SALVAR, COM TEU POVO VEM CAMINHAR (bis).
.

L2.: Celebrar o nascimento de Jesus tem o compromisso de fazer das nossas Igrejas e comunidades, casas de acolhimento, onde todos se sintam protegidos, amparados e amados.
.

T.: VEM SENHOR, VEM NOS SALVAR, COM TEU POVO VEM CAMINHAR (bis).
.

L3.: Celebrar o nascimento de Jesus é ver na Igreja um farol que nos indica por onde andaremos, alicerçada nos pilares do Pão, Palavra, Caridade e Missão.
.

T.: VEM SENHOR, VEM NOS SALVAR, COM TEU POVO VEM CAMINHAR (bis).
.

A.: Maria é a mulher do Sim, do silêncio e da oração. Celebrar o nascimento de Jesus é silenciar o coração e dar lugar à Palavra de vida que nos transforma, à Eucaristia que nos fortalece e à partilha que nos enriquece. É abrir o coração para que Deus nele faça sua morada.
.

T.: VEM SENHOR, VEM NOS SALVAR, COM TEU POVO VEM CAMINHAR (bis).
.

L1.: Jesus percorria todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando toda doença e enfermidade. Celebrar o nascimento de Jesus nos desinstala, por isso não pode nos deixar parados e nem calados, porque essa grande notícia nos impulsiona a sair de nós mesmos e partilhar a alegria do anuncio da Boa Nova. O “Ide e anunciai” nos coloca em permanente estado de missão.
.

T.: VEM SENHOR, VEM NOS SALVAR, COM TEU POVO VEM CAMINHAR (bis).
.

A.: Com alegria e esperança, iniciemos o nosso encontro.

.

3. Entrando no clima
A.: São João Paulo II destacava que sempre deveríamos nos lembrar que em tudo: “é necessário partir de Cristo”. Isso não depende só de transmissão de ideias. É preciso cultivar um ambiente onde a fé, a esperança e a caridade atraiam as pessoas, pela coerência de atitudes e pela ternura que faz de cada discípulo um sinal do amor de Deus. (CNBB).

.

T.: Mostrai-me, Senhor os teus caminhos, ensinai-me tuas veredas (Sl 25,4).
.

L1.: José e Maria foram sinais permanentes de um Deus que habitou a pequena Nazaré, no desafio de achar alguém que os acolhessem, se tornaram peregrinos na jornada por um lugar para que o pequeno menino nascesse. Quantas vezes é difícil o Evangelho encontrar acolhida entre nós.

.

T.: “Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor” (Js 24,15).

.

L2.: Para fortificar nossa missão de anunciadores necessitamos que não nos deixemos abater pelas intempéries da época e do lugar que estamos, e acreditemos que “O Senhor firma os passos do homem, sustenta aquele cujo caminho lhe agrada” (Cf. Sl 37,23).

.

T.: Que a cada dia a Palavra de Deus possa encontrar força e ação na minha vida.

.

L3.: “Acredita-se com o coração” (Rm 10,10). O coração é o lugar da consciência, proclamar é muito mais que entoar cantos e orações ao Senhor, é se fazer lugar onde Deus constantemente habita.

.

T.: “Prega a Palavra, insista a tempo e fora de tempo, aconselha e encoraja com toda paciência e pedagogia” (2 Tm 4,2).

.

Canto: (Abre tua porta, nº 4).

.

4. Palavra de Deus – O Espírito Santo nos fala
A.: O Pai que gerou e enviou o Filho Unigênito, continua a nos impulsionar, encorajando a cada um de nós na vivência criativa de Sua Palavra. (A Bíblia Sagrada pode ser encoberta com um papel que lembra a pedra e ao ir passando de mão em mão, aos poucos retiraremos o papel).

.

Texto Bíblico: Mt 28, 16-20 (silêncio e meditação pessoal).

.

Vamos conversar:

  1. Os caminhos de Deus entram pelos caminhos dos homens por vezes da maneira mais inesperada. Há que estar atentos, escutar, ser dóceis. Como temos sido discípulos de Cristo?
  2. Como nos identificamos como a comunidade dos discípulos de Jesus?
  3. Como ajudar as pessoas a se encontrarem no testemunho de Cristo?
  4. Em nossa comunidade como temos alimentado a experiência do discipulado?

.

Canto: (Virá o dia em que todos, n° 13).

.

A.: Iluminados pela Palavra e pela partilha de nossos corações, ouçamos os testemunhos de vida que nos ajudam a refletir e a rezar, preparando-nos para o Natal do Senhor.

.

5. Olhando para a vida: “Ir sempre ao encontro do outro. Sempre!”
O que Lú sempre mais gostou na vida foi ir ao encontro das pessoas, especialmente na hora de prestar alguma ajuda. Foi assim que o isolamento da Pandemia caiu sobre ela como uma avalanche. Ela dizia: “Senti-me mesmo soterrada. Era para mim desesperador não poder ir ao encontro dos outros. Tive que inventar alguma forma de sair ao encontro, mesmo sem sair de casa”.
.

“A primeira coisa que fiz foi organizar com meus vizinhos um momento de oração em que todos se colocavam em suas janelas e rezavam. Muitos milagres aconteceram naquelas janelas abertas em oração. Corações se entrelaçaram. Reconciliações aconteceram. Solidões foram superadas. E especialmente a fé em Deus e o amor entre eles cresceram; deram frutos”.
.

Agora Lú já está pensando na Novena do Natal. Está acolhendo ideias e sugestões pelo “Zap” para agradecer a Deus por sua presença neste momento tão desafiador e ameaçador para todos nós.

.

6. Para meditar, guardando no coração: Que missão especial você está preparando para este Natal?

.

Canto: (Quando o dia da paz, nº 14).

.

7. Preces
A.: Apresentemos ao Pai as súplicas deste dia para que nossos corações se unam ao que os nossos lábios professam. Peçamos.

.

T.: Fazei-nos discípulos Teus.

.

L1.: Ajudai-nos a criar um vínculo de amor e fé com a vossa Palavra, para que nos momentos de grandes tribulações possamos dizer.

.

L2.: Inspirai-nos a levar mais consistentemente os mistérios que celebramos, a Eucaristia, o batismo, a unção dos infernos e a confissão sacramental em nossa vida, para que assim eles sejam fontes renovadores da vocação cristã. Rezemos.

.

L3.: Encorajai-nos Senhor, quando por vezes em nosso lar nos sentimos menos capazes de ser portadores da mensagem e alegria do Evangelho. Nós Vos pedimos.
.

Preces espontâneas…

.

8. Oração do Senhor
A.: Com amor e confiança digamos juntos: Pai nosso…

.

9. Gestos concretos: revisitar suas fotos do sacramento da Crisma, Batismo e Eucaristia. Descobrir a Igreja em você.

.

10. Oração final

A.: Senhor e Pai, ao encerrarmos nosso encontro, agradecemos vossa presença em nosso meio e suplicamos que a força transformadora do vosso amor nos renove a cada dia.
.

T.: VEM Ó SENHOR COM O TEU POVO CAMINHAR/ TEU CORPO E SANGUE VIDA E FORÇA VEM NOS DAR.
.

L1.: Derramai sobre nós a vossa graça, para que pela força do nosso batismo, impulsionados pelo Espírito Santo, instruídos pela Palavra e alimentados pela Eucaristia, sejamos alegres anunciadores do Evangelho da vida.
.

T.: VEM Ó SENHOR COM O TEU POVO CAMINHAR/ TEU CORPO E SANGUE VIDA E FORÇA VEM NOS DAR.
.

L2.: Infundi em nós um profundo amor à celebração da Eucaristia, favorecendo o verdadeiro encontro com o Ressuscitado, para que sejamos o coração, os olhos e ouvidos de Jesus no mundo.
.

T.: VEM Ó SENHOR COM O TEU POVO CAMINHAR/ TEU CORPO E SANGUE VIDA E FORÇA VEM NOS DAR.
.

L3.: Enviai-nos, Senhor, às periferias de nossas casas e comunidades, onde a vida é ameaçada, onde as diferenças nos desunem, onde a casa comum já não é mais a revelação da grandeza de Deus, onde a diversidade e pluralidade nos assustam e nos afastam, para que aí sejamos a Igreja de portas abertas, samaritana e servidora da vida.
.

T.: VEM Ó SENHOR COM O TEU POVO CAMINHAR/ TEU CORPO E SANGUE VIDA E FORÇA VEM NOS DAR.
.

A.: O Senhor esteja conosco!
.

T.: Ele está no meio de nós!
.

A.: Que a Palavra amorosa do Pai envolva nossa inteligência. T.: Amém!
.

A.: Que o olhar amigo do Filho ilumine nosso coração. T.: Amém!
.

A.: Que a força libertadora do Espírito Santo ilumine e impulsione nossas decisões e ações. T.: Amém!
.

A.: Fiquemos em paz, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

.

T.: Amém!