História

Fundada pelos padres da Ordem da Santa Cruz (Crúzios) em 1972, a Paróquia Sagrado Coração de Jesus pertence à Arquidiocese de Juiz de Fora, atualmente gerida pelo Arcebispo Dom Gil Antônio Moreira.

 

Ao final do ano de 1964, quando os bairros Bairu e Manoel Honório ainda faziam parte da Paróquia de Santa Rita de Cássia, os padres da Ordem da Santa Cruz – na época responsáveis pela gestão da igreja – começaram a perceber a necessidade de construção de um novo templo, devido a expansão dos bairros em questão. Com isso, em 1966, Padre Haroldo Hermanus Gerardus Hubers, recém chegado à cidade, tomou como missão a ideia de uma nova comunidade.

 

Foram sondados aproximadamente quatro lotes, sendo um deles doado por Josefina Mazieiro Bitencourt, então moradora do Bairro Bairu e devota de Santa Edwiges, santa padroeira que deu nome à Capela inaugurada anos depois, em 1977, anexa à Igreja. Os recursos para construção foram levantados por meio de festas de ruas, chamadas de “Festa da Baleia”. Também na época, houve a primeira iniciativa para a Pastoral do Dízimo, já que visitas promovidas pelo Pe. Haroldo às casas dos moradores resultaram em contribuições mensais para o financiamento da construção. A obra teve início em 1970 e, em 1972, a Igreja – denominada Sagrado Coração de Jesus pelos próprios fiéis – abriu suas portas para celebrações que ocorriam sempre aos domingos, às 17 horas. Também neste ano, foram criados grupos de preparação para a Catequese.

 

A Pastoral do Dízimo foi consolidada em 1973, a partir de novas visitas aos moradores. Desta vez pela comissão. Também na data surgiram grupos de reflexão e movimentos: São Francisco de Assis, Nossa Senhora das Graças, Santíssima Trindade e formações das pastorais da Catequese, Dízimo, Liturgia, entre outras. O primeiro batismo foi registrado, dois anos depois, em 1975. A imagem do Sagrado Coração de Jesus, doada pela Paróquia de Santa Rita de Cássia, foi entronizada no templo em 1981.

 

Já em 1996, com a intenção de elevar o status da comunidade à nível paroquial, o conselho administrativo aprovou reformas e ampliações. Obras estas que se tornaram possíveis somente em 2003, sob a gestão do Padre Sinvaldo Francisco, também da Ordem dos crúzios. Na época foram construídos almoxarifado e salão para reuniões. O então padre seguiu na administração da comunidade até 18 de outubro de 2006, quando a Igreja, juntamente com a Paróquia de Santa Rita de Cássia, foi entregue à Arquidiocese.

 

Assim, enquanto comunidade diocesana, foram nomeados os padres Geraldo Dondici Vieira como administrador paroquial, o diácono Pitágoras de Paula Bandeira e os padres Tarcísio Marcelino Ferreira Monay e Edmilson da Silva como vigários paroquiais para assumirem a Paróquia de Santa Rita de Cássia (Bonfim) e a quase-paróquia Sagrado Coração de Jesus (Bairu) e as comunidades Centenário (São Cristóvão), Marumbi (São Lucas) e Santa Rita (Santa Maria). Foi em 30 de maio de 2008 que a Capela foi elevada à Paróquia.